POLÍTICA

Joesley diz que pediu a políticos que interferissem no BNDES

Foto: Reprodução
No novo anexo entregue por delatores da JBS à Procuradoria-Geral da República (PGR), o empresário Joesley Batista revelou que houve "pressão política" para que o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) liberasse um financiamento para a construção de uma fábrica de celulose da Eldorado, no Mato Grosso do Sul. O empresário conta ainda que pediu apoio para o negócio entre 2009 e 2010 a José Serra (PSDB-SP), que na época era candidato à presidência da República, além dos ex-ministros do PT Antonio Palocci e Guido Mantega. A Eldorado pertence ao grupo J&F, dos irmãos Batista. O anexo trata de pedidos feitos por Joesley a políticos que, de acordo com o empresário, ajudaram a liberar um empréstimo bilionário à uma empresa de plantação de eucaliptos, a Florestal. A pressão se consolidou em meados da eleição presidencial de 2010, segundo Joesley. O empresário ainda contou que o pedido de empréstimo foi iniciado em 2009 ao então presidente do BNDES, Luciano Coutinho. Teria sido o então governador de Mato Grosso do Sul , André Puccinelli, que uma empresa europeia tinha desistido de construir um fabrica de celulose no estado, por isso, o empresário acabou sugerindo que a fábrica da J&F ficasse no lugar. O entrave, apesar de resistências do BNDES teria sido resolvido por Guido Mantega, ainda em 2009 - época em que Mantega era ministro da Fazenda. De acordo com Joesley, Mantega "prontamente o apoiou".



Da Redação Luciano Reis Notícias, com Metro 1

0 comentários:

Postar um comentário

Tecnologia do Blogger.