Traficantes torturam suspeitos de morte de meninas de 3 anos em SP - Luciano Reis Notícias
Traficantes torturam suspeitos de morte de meninas de 3 anos em SP

Traficantes torturam suspeitos de morte de meninas de 3 anos em SP

Share This
[Traficantes torturam suspeitos de morte de meninas de 3 anos em SP]

Traficantes da favela do Jardim Lapena, em São Miguel Paulista (zona leste), torturaram dois homens apontados por moradores da região como responsáveis pela morte de duas meninas de três anos na região, segundo a polícia. A PM resgatou os agredidos nesta segunda-feira (16).
Adrielly Mel Severo Porto e Beatriz Moreira dos Santos, vizinhas, desapareceram no dia 24 de setembro. Seus corpos foram achados em decomposição na última quinta-feira (12), dentro de um Fiat Fiorino, a 150 m de suas casas, na própria favela.
A polícia afirmou nesta segunda que iria averiguar a eventual participação dos dois agredidos na morte. Ao mesmo tempo, ainda não os tratavam como suspeitos.
Um dos agredidos tem passagem por estupro. O outro é vizinho de uma das crianças. Segundo a polícia, este disse que conhecia as duas meninas e que, inclusive, a mãe de uma delas já tinha ido com a garota fazer uma visita à casa dele.
A polícia disse que o tribunal do crime foi formado pelos traficantes após surgir um boato, na comunidade, de que dois homens que moram no local foram os responsáveis não só pelo assassinato, mas também pelo eventual estupro das garotas.
A polícia afirma que não há confirmação de que houve violência contra as garotas e que aguarda laudos não só para comprovação dessa situação como também para a identificação das vítimas. A polícia trabalha, inclusive, com a hipótese de acidente –as meninas podem ter se trancado dentro do carro e não conseguido sair.
Os dois homens agredidos contaram na delegacia que foram levados por traficantes a um barraco no domingo (15). Eles disseram que apanharam porque os criminosos queriam que confessassem a participação nas mortes.
Após uma denúncia anônima, PMs foram até o local e acharam os dois amarrados e feridos. Eles apresentavam hematomas pelo corpo. Nenhum suspeito das agressões foi preso. No local, foram encontrados pedaços de pau.
Segundo a polícia, os dois agredidos negaram envolvimento no crime. A dupla fez um boletim de ocorrência de agressão. A reportagem não conseguiu localizar os advogados dos dois.
RECONHECIMENTO
O pai de Adrielly, 3, foi levado nesta segunda até o IML (Instituto Médico Legal) para fazer uma nova coleta de material genético para exame de DNA.
Apesar de as famílias terem reconhecido alguns pertences de Adrielly Mel e Beatriz no Fiorino, a Polícia Civil ainda aguarda o resultado do exame para ter certeza de que são as mesmas meninas que estavam desaparecidas desde o último dia 24 de setembro na região. A polícia quer ouvir nos próximos dias os familiares das crianças e vizinhos.
No dia em que foram encontrados os corpos, os parentes de Adrielly Mel afirmaram que tinham esperança de encontrar as crianças com vida. ( Folha Press )

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Post Top Ad

TESTE MONERO Luciano Reis Noticias