Audiência analisa caso de advogada e companheira do traficante Nicão - Luciano Reis Notícias
Audiência analisa caso de advogada e companheira do traficante Nicão

Audiência analisa caso de advogada e companheira do traficante Nicão

Share This
[Audiência analisa caso de advogada e companheira do traficante Nicão]

Na manhã desta terça-feira (19), acontece uma audiência no Fórum Criminal de Sussuarana, em Salvador, envolvendo a advogada Rebeca Cristine Gonçalves dos Santos. Vários policiais estão no local.
Segundo informações da Secretaria de Segurança Pública da Bahia (SSP-BA), além de defender judicialmente o traficante e homicida Claudomiro Santos Rocha Filho, conhecido como Nicão, que conforme a secretaria cometeu ao menos 18 assassinatos, Rebeca era também a atual companheira dele e atuava diretamente em uma organização criminosa.
Em agosto do ano passado, a SSP-BA divulgou que equipes dos departamentos de Combate ao Crime Organizado (Draco) e de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) desvendaram o  esquema, liderado pela advogada Rebeca, e que consistia em adiar as audiências de Nicão, e garantir que os prazos estabelecidos por lei fossem excedidos, resultando na sua soltura, além da comercialização de celas.
Quando a operação foi deflagrada, um ex-funcionário da antiga Secretaria Estadual de Justiça, Cidadania e Direitos Humanos (SJCDH), Jusivel Viana Marques, foi preso na própria residência, no bairro da Boca do Rio, um dos pontos de atuação do Nicão.
Com a prisão de Jusivel foi desarticulado parte deste esquema que também retardava audiências e escolhia celas dentro do sistema prisional baiano para beneficiar traficantes e homicidas.
Presa no dia 30 de agosto de 2016, Rebeca ficou inicialmente custodiada no Conjunto Penal Feminino da Mata Escura. Depois, teve a ordem de transferência dada para que pudesse ficar na chamada "Sala de Estado Maior", ficando presa no 12º Batalhão de Polícia Militar de Camaçari, na Região Metropolitana da capital baiana.
Em 21 de setembro do mesmo ano, a advogada teve sua prisão preventiva convertida em prisão domiciliar. A decisão liminar foi assinada pelo desembargador Aliomar Brito, num habeas corpus impetrado pelos advogados Gildo Porto, Marcus Vinicius, Reinaldo Junior, Lorena Barbuda e Antonio Glorisman, que integram a Associação dos Advogados Criminalistas da Bahia (AACB), com apoio da OAB da Bahia.
Rebeca foi indiciada por tráfico de drogas, associação ao tráfico e lavagem de dinheiro. ( Luciano Reis & Bnews )

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Post Top Ad

TESTE MONERO Luciano Reis Noticias